Seguidores

sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Principessa


Talvez em dias tão conturbados...
com tantas confusões...
é difícil sobreviver...
mas não impossível...
Melhor exemplo :
Principessa,
a plantinha !!!
Para quem não conhece
é uma planta delicada...
e determinada...
Alguma dificuldade 
na cidade ?
Ela sorri...
e chora...
Só quem tem 
a alma do campo...
entende o que é
uma chuva...
o que é o Sol...
e mais que tudo :
o que é acreditar... 
no Amar !!! 

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

MEDUSAS

No meu último mergulho, passei bem perto de uma colônia de Medusas, todas muito simpáticas e charmosas...
Felizmente gostaram tanto de mim que deixaram eu sobreviver...
Talvez para quem sabe, relatar a possibilidade que sempre temos em conviver com outros seres interessantes e fatais...
Hoje umas medusas, amanhã sei lá o quê ...

terça-feira, 27 de dezembro de 2016

A ONDA


Descobrir que algumas situações jamais serão dominadas por nós. Quem vive perto do mar, já percebeu que as ondas possuem uma vida própria. 
Mesmo querendo não conseguiremos interferir no vagar das vagas, talvez para alguns seja uma grande descoberta, para outros a feliz constatação de que as vezes temos que estar na platéia para admirar o vai e vem alheio. 
Deixar o palco para a Mãe Natureza nos ensinar o que pudermos aprender.
Ir e voltar lembrando uma música marítima (a prima da música celeste).
Por que escrever sobre a Onda ?
Para não esquecermos do imponderável...

sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

LIVRO 9



FRASE I.

- Temos que rezar mais- dizia Padre Pasquale, com a concordância de todos, que completavam com um sonoro Amem !





quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

terça-feira, 20 de dezembro de 2016

ASSISCITY.COM

19/12/2016

Membro da Academia de Letras de Brasília é parceiro em concurso de crônicas, em Assis

O concurso foi promovido pela E.E Professor Ernani Rodrigues





A sala de leitura da E.E. Prof. Ernani Rodrigues, de Assis, desenvolveu um projeto referente ao "Concurso de Crônicas Ler ou Não Ler", durante o 4° bimestre de 2016.

"O objetivo do projeto foi trabalhar o potencial dos alunos na escrita e na leitura, além de incentivá-los a terem uma atitude protagonista na qual eles são sujeitos na produção do seu próprio conhecimento", afirma a professora Márcia de Cássia Santos.

O projeto teve como parceiro o escritor Marco Coiatelli, membro da Academia de Letras de Brasília e que, atualmente, reside na Alemanha.

A equipe gestora e os professores da escola buscaram incentivar os alunos do Ensino Fundamental e Médio para participarem do concurso. Nas crônicas, os alunos retrataram a importância da leitura para suas vidas e na vida das pessoas de modo geral, além de fornecerem pistas sobre o seu tipo de literatura preferido, com citações dos livros que tinham lido.

Para dar mais visibilidade ao projeto, as crônicas foram publicadas no blog Nave al Mare, http://marcocoiatelli.blogspot.de, de autoria do escritor Marco Coiatelli. A comissão julgadora foi composta pelo escritor e pelos professores Olga Liane Zanotto Manfio Jascke, Edi Wílson Pereira Ruiz, Rosana Maria Palma Tomilheiro, Márcia de Cássia Santos, Geneci dos Santos, Nelci Nardi Scolar, Wilza Regina Camargo Ribeiro e Solange Mota Arruda.

O escritor acompanhou e avaliou via internet as crônicas produzidas pelos alunos e as opiniões dos professores sobre as produções escritas. Houve premiação para o 1º, 2° e 3° lugar. Os prêmios foram livros que os próprios alunos escolheram em uma das livrarias da cidade.

"Os resultados foram surpreendentes, pois muitos alunos demonstraram as suas reflexões sobre o ato de ler, a contribuição que os livros trouxeram em sua vida, a introdução das tecnologias facilitando e diversificando a leitura", conclui Márcia de Cássia.




Os vencedores Laura, Manuela e Gabriel com os livros que ganharam como premiação


Geneci dos Santos






FONTE :
http://www.assiscity.com/?b=65153

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

LAOZI (604 a.C.)

G. IVO

44. PRECEITOS ESTABELECIDOS

o nome ou a pessoa         qual preferir ?
a pessoa ou as posses       qual valorizar ?
o ganho ou a perda           qual dói mais ?

por isso

demasiada poupança    traz grande dispêndio
excessivo acumulo     traz enorme desperdício

sabendo bastar-se      não se passa vergonha
sabendo conter-se     não se corre perigo

pode-se por isso perdurar

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

LAOZI (604 a.C.)

G. IVO

46. MODERAR OS DESEJOS

maior culpa :                  aquiescer ao desejo
maior violação :             não saber bastar-se
maior falta :                desejar obter  

portanto

sabendo bastar-se 
ao que basta 
sempre basta

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

BOOKS 6/2016

ANTONIO LIGABUE



63.
Murakami Haruki 
Illustrato da Kat Menschik
Sonno 
(Nemuri)
Traduzione di Antonietta Pastore
Einaudi Editore 

64.
Fernando Pessoa - Ricardo Reis
Poesia - Poesie
Übersetzt von Inés Koebel
Nachwort von Georg Kohler 
Fischer Verlag 

65.
Lygia Fagundes Telles
A caçada e outros Contos
Ilustrações de Liliane Dardot
Confraria dos Bibliófilos do Brasil

66.
Boris Pasternak
Anch'io ho conosciuto l'amore 
Poesie 1913-1956
Passigli Editori 

67.
Terenzio 
( Publio Terenzio Afro )
Il Punitore di se stesso
Introduzione di Dario Del Corno
Traduzione di Gabriella Gazzola
BUR / Rizzoli

68.
Platone 
Lettere
Cura di Margherita Isnardi Parente
Traduzione di Maria Grazia Ciani
Fondazione Lorenzo Valla &
Arnaldo Mondadori Editore 

69.
Tomi Ungerer
The Three Robbers
Phaidon Publisher 

70.
Tomi Ungerer
Zeralda's Ogre
Phaidon Publisher

71.
Tomi Ungerer
Moon Man
Phaidon Publisher

72.
Tomi Ungerer
Fog Island 
Phaidon Publisher

73.
Tomi Ungerer
The Hat
Phaidon Publisher

74.
Tomi Ungerer 
Emile
Phaidon Publisher

75.
Tomi Ungerer 
Flix
Phaidon Publisher 

76.
Tomi Ungerer 
Otto 
Phaidon Publisher

77.
Jean Giono
L'homme qui plantait des Arbres
Gallimard 

78.
Charles Baudelaire 
Las Flores del Mal
Ilustraciones Pat Andrea 
Libros del Zorro Rojo

79.
Friedrich Schiller
Poesie Filosofiche 
Traduzione Giovanna Pinna
Feltrinelli 

80.
Bernardo Élis
Centenário 
Contos Selecionados 
1. A enxada
2. Pai Norato
3. João Boi
4. Uma Certa Porta
5. Nhola dos Anjos e a cheia do Corumba
6. Ontem, como Hoje, como Amanhã
7. Moagem
8. Um Duelo que ninguém viu
Confraria dos Bibliófilos do Brasil

81.
Jean-Pierre Siméon
Le Livre des petits étonnements 
du Sage TAO LI FU
Traduction de Meng Ming
Cheyne éditeur

82. 
Lev Tolstoy
Ivan lo scemo
Edizioni Clichy

83.
Nicoletta Grillo
Il tempo lungo
Le temps long
RI RAUM Italic Bücher

84.
Nicoletta Grillo
Lettere All'Amministrazione del Condominio 
LietoColle

85.
Giorgio Agamben
L'avventura 

Sassi nello Stagno / Filosofia 

terça-feira, 13 de dezembro de 2016

GANESHA


A mais conhecida história é provavelmente aquela encontrada no Shiva Purana. Uma vez, quando sua mãe Parvati queria tomar banho, não havia guardas na área para protegê-la de alguém que poderia entrar na sala. Então ela criou um ídolo na forma de um garoto, esse ídolo foi feito da pasta que Parvati havia preparado para lavar seu corpo. A deusa infundiu vida no boneco, então Ganesha nasceu. Parvati ordenou a Ganesha que não permitisse que ninguém entrasse na casa e Ganesha obedientemente seguiu as ordens de sua mãe. Dali a pouco Shiva retornou da floresta e tentou entrar na casa, Ganesha parou o Deus. Shiva se enfureceu com esse garotinho estranho que tentava desafiá-lo. Ele disse a Ganesha que ele era o esposo de Parvati e disse que Ganesha poderia deixá-lo entrar. Mas Ganesha não obedecia a ninguém que não fosse sua querida mãe. Shiva perdeu a paciência e teve uma feroz batalha com Ganesha. No fim, ele decepou a cabeça de Ganesha com seu Trishula (tridente). Quando Parvati saiu e viu o corpo sem vida de seu filho, ela ficou triste e com muita raiva. Ela ordenou que Shiva devolvesse a vida de Ganesha imediatamente. Mas, infortunadamente, o Trishula de Shiva foi tão poderoso que jogou a cabeça de Ganesha muito longe. Todas as tentativas de encontrar a cabeça foram em vão. Como último recurso, Shiva foi pedir ajuda para Brahma que sugeriu que ele substituísse a cabeça de Ganesha com o primeiro ser vivo que aparecesse em seu caminho com sua cabeça na direção norte. Shiva então mandou seu exército celestial (Gana) para encontrar e tomar a cabeça de qualquer criatura que encontrarem dormindo com a cabeça na direção norte. Eles encontraram um elefante moribundo que dormia desta maneira e após sua morte, tomaram sua cabeça, e colocaram a cabeça do elefante no corpo de Ganesha trazendo-o de volta à vida. Dali em diante ele é chamado de Ganapathi, ou o chefe do exército celestial, que deve ser adorado antes de iniciar qualquer actividade.


http://pt.wikipedia.org/wiki/Ganexa

segunda-feira, 12 de dezembro de 2016

Laura, Manuela e Gabriel


PARABÉNS !!!
Laura, Manuela e Gabriel.

Primeiro, Segundo 
e Terceiro lugar.

É o primeiro concurso 
de crônicas 
"Ler ou não Ler "

Foi muito gratificante participar deste belíssimo exercício de escrever e ler.

Que seja mais um estímulo na trajetória de todos os participantes. 

Dependendo de mim, o Premio pertence não somente a vocês três e sim a todos que conseguiram sair da sua intimidade, e expor a sua visão, a forma como enxerga o Mundo.
É preciso muita Coragem  !!!
Isto é tão importante quanto ganhar. 

É preciso olhar para a nossa Terra, com olhos críticos, com olhos poéticos, para quem sabe, construir um Futuro Melhor.


quinta-feira, 8 de dezembro de 2016

1˚ LUGAR: Laura Alice da Costa Garcia.




No café
A caminhada da casa dela até a cafeteria durava menos de 15 minutos, mas naquela manhã úmida e um tanto quanto gelada, parecia uma eternidade. - Olá Sophie! – a balconista a cumprimentou. - Olá! Quero o de sempre. Caminhou até seu lugar preferido e se sentou. Sentar e observar as pessoas era como ler um bom livro, ela simplesmente não se cansava. Já estava tomando seu café com pão de queijo quando a garota entrou. Era uma garota alta de cabelos escuros e olhos grandes, vestida como quem acaba de chegar de uma festa. Ela tinha um livro na mão e os olhos borrados de delineador preto que dava a impressão de que a jovem havia acabado de chorar. Observou a se sentar do outro lado da cafeteria, isolada, com uma xícara, que ela acreditou ser de café preto, a jovem colocou o livro sobre a mesa e com a mão livre tirou uma garrafinha de bebida alcoólica, daquelas que dão nos aviões, do bolso interno. Ela despejou a bebida no café e então abriu o livro. Sophie disfarçadamente forçou a visão para tentar descobrir o titulo do que a garota do delineador borrado estava lendo. Ou será que ela só fingia ler aquela obra que estava em suas mãos? Os olhares das duas jovens não se encontravam, mas Sophie tinha certeza de que a outra sabia que estava sendo observada. Sophie passou seu olhar pelo ambiente e percebeu que todas as pessoas que se encontravam lá estavam absortas em algum tipo de leitura, algumas no jornal, outras no celular ou notebook, o rapaz parado no balcão lia o cardápio. E ela mesma estava monotonamente e muitas vezes sem perceber, lendo as próprias pessoas. A vida, concluiu Sophie, é uma grande leitura, você passa a vida toda lendo algo, sejam elas em livros, revistas, cardápios ou pessoas. A leitura poderia ser encaixada até mesmo no sentido de aproveitar a vida, basta apenas escolher ler ou não ler. Ela voltou os olhos para a garota do delineador borrado, e esta estava a olhando também. Uma sorriu para outra, como se elas simplesmente soubessem um segredo. O celular de Sophie tocou, avisando-a que era hora de ir para a faculdade. A faculdade de literatura que ela tanto amava. Antes de sair ela olhou mais uma vez para garota e finalmente conseguiu ler o titulo do livro que ela lia “Hamlet”. As questões se encaixavam bem. Ela saiu pela porta sabendo que, muito provavelmente, nunca mais iria ver a garota. A garoa tinha começado a molhar a calçada e Sophie seguiu seu caminho.

Laura Alice da Costa Garcia, 16 anos.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

2˚ LUGAR: Manuela de Oliveira Dias Marciano.


A caixa misteriosa
Era um sábado chuvoso. Mariana e sua família estavam indo visitar sua avó na fazenda dela. Mariana não queria ir nessa viagem porque lá não tinha nenhum jeito de se conectar com a internet, não pegava celular e como ela era uma blogueira famosa precisava ficar conectada com seus fãs. Chegando lá, ela arrumou suas coisas no quarto e foi se sentar na beira da piscina com sua irmã Julia. Mariana tinha 15 anos e Julia tinha 10. Se passaram algumas horas e Julia, percebendo que sua irmã estava entediada,decidiu ir até seu quarto pegou os livros e entregou um na mão de sua irmã. Mariana olhou para o livro com uma cara de nojo, jogando-o no chão e foi para cozinha. Julia pegou o livro, foi até seu quarto, pegou uma folha e uma caneta e escreveu uma cartinha, se dirigiu então até o quarto de sua irmã sem ela perceber colocou o livro em sua cama junto com a cartinha e saiu rapidamente antes que alguém a visse. Começou a escurecer. Todos foram para seus quartos. Mariana entrou no seu quarto e viu a cartinha com a assinatura de sua irmã Julia, pegou-a na mão e começou a ler. Enquanto ela lia lágrimas escorriam, seu rosto já estava todo manchado por causa da maquiagem. Quando Mariana terminou a leitura da carta e do livro, guardou os dois em uma caixa e escreveu em cima ( Se encontrar por favor devolver a Mariana Souza Dias ) e colocou em cima do armário e foi dormir. No outro dia, acordou bem cedo, fez o café da manhã, arrumou a mesa e foi chamar sua família. Eles acordaram e foram até a cozinha como ela havia mandado. Chegando lá ficaram surpresas ao verem a mesa arrumada e perguntaram a Mariana o que era aquilo e o que ela estava querendo em troca? Ela, toda sorridente, respondeu que só queria fazer uma surpresa e que queria em troca um abraço. O tempo passou e chegou o dia delas irem embora, pra surpresa de todos Mariana não queria ir, mas foi porque tinha muita coisa pra fazer na cidade, agradeceu sua avó por tê-las convidado para passar as férias lá e entrou no carro. Chegando em sua casa, logo Mariana ligou o Wi-Fi conectando com seus fãs, como sempre tinha um monte de mensagens, twittes e cartas de fãs e parentes, Pela primeira vez ela abriu todas as mensagens de fãs e todos as cartas. Leu e respondeu uma por uma, assistiu todos os snaps dos fãs. Daquele dia em diante, ela começou a ser mais carinhosa e a ler mais, toda semana pegava um livro diferente adorava ler para seus primos menores. Depois de 10 anos... Mariana construiu uma biblioteca aos seus 25 anos, a maior biblioteca da cidade, ela morava no fundo da biblioteca em uma casa de vidro toda azul. Sua irmã Julia morava junto, trabalha como professora de Português em uma escola que era perto e sempre que dava levava seus alunos na biblioteca. Sempre que podiam iam a fazenda da sua avó para matar a saudade, as duas se trancavam dentro do quarto de Mariana pegavam a carta e o livro e começavam a ler, saiam de lá com os olhos inchados de tanto chorar. Sua avó perguntava o que tinha naquele quarto que ninguém podia saber e que faziam elas chorarem tanto. O tempo passou e Julia casou-se e mudou de cidade. Certa manhã Mariana recebeu um telefonema de sua mãe dizendo que sua irmã Julia havia falecido, Mariana saiu desesperada, entrou no carro e foi até a fazenda de sua avó. Entrou correndo no quarto, pegou a caixa em cima do armário e saiu sem dar nenhuma explicação. Foi até o cemitério onde estava acontecendo o velório. Ajoelhou-se no chão e começou a chorar, em seguida colocou a caixa dentro do caixão e foi embora. Mas o que todo mundo queria saber era: o que estava escrito naquele livro e naquela carta que mexeu tanto com Mariana e mudou a sua opinião sobre as coisas...


Manuela de Oliveira Dias Marciano, 13 anos

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

3˚ LUGAR : Gabriel Lucas Gonçalves da Costa !!!



O Início Ler ou não Ler? Uma das decisões mais difíceis da vida de algumas pessoas, sou Gabriel Lucas um garoto que desde pequeno adorava ler. Sempre adorei escrever textos românticos, entre outros textos e histórias fora do comum. Minha paixão pela leitura começou quando eu tinha sete anos de idade, Fui a uma biblioteca abandonada há anos. Lá encontrei um livro que falava sobre James Watson,um garoto que queria ser um escritor como William Shakespeare. Após ler este livro percebi que atuar é uma forma de demonstrar seus sentimentos no palco. Esta paixão pelo teatro cresceu cada vez mais, Mas o Amor pela leitura não vai embora com o tempo, permanece aqui como minha paixão pelo teatro. Decido voltar a biblioteca abandonada. Depois de anos a biblioteca continua perfeitamente intacta. Em plena escuridão, olho para o meu livro amado e digo: -Muito obrigado por abrir meus olhos para o céu estrelado da leitura. Com lágrimas no rosto olho para meu livro novamente e digo: -Voltei aqui para te deixar, nesta biblioteca, que me ensinou a voar depois de tombar tanto. Volto para o palco e espero a peça começar, de repente olho para trás e vejo que meu ídolo William Shakespeare estava ali,me vendo ensaiar antes do espetáculo. Vou ate Lá e digo a ele: -Oi Sou Gabriel, o que faz aqui neste lugar? Digo com voz ansiosa. Ele Responde: -Vim ver sua peça! Respondo Ansiosamente: -Ok desculpa te perturbar, mas por que tão cedo? -Você vai descobrir quando acabar o espetáculo. Ao fim do espetáculo, Shakespeare sobe ao palco vazio e diz para mim: -Fiquei sabendo do seu amado livro. Como você, sou apaixonado pela leitura, e por isso quero que faça meu próximo livro!!! Respondo rapidamente com lagrimas nos olhos: -Adoraria escrever seu próximo livro. E foi Assim que eu me tornei um escritor. Tudo Isso Graças a Leitura,que mudou minha vida completamente.

Gabriel Lucas Gonçalves da Costa, 12 anos.

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

AS CINCO CRÔNICAS FINALISTAS





Os cinco finalistas por ordem alfabética
do Concurso de Crônicas " Ler ou não Ler "


A) Gabriel Lucas Gonçalves da Costa
B) Laura Alice da Costa Garcia
C) Manuela de Oliveira Dias Marciano
D) Rafaela Cristina Pereira

E) Vinícius Gabriel dos Santos



Dia 6 de dezembro o resultado final.


domingo, 4 de dezembro de 2016

JURI DO CONCURSO NA ESCOLA PROFESSOR ERNANI RODRIGUES

















Solange Mota Arruda. Nelci Nardi Scolar. Rosana Regina de Palma Tomilheiro. Olga Liane Zanotto Manfio Jaschke. Márcia de Cássia Santos. Edi Wilson Wilson Pereira Ruiz. Geneci dos Santos.
&
Wilza Regina Camargo Ribeiro
Marco Coiatelli


sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Geneci dos Santos


A E.E.Ernani Rodrigues agradece imensamente ao Acadêmico Marco Coiatelli (Academia de Letras de Brasília ), pela sua participação no concurso de crônicas "Ler ou não Ler".

O incentivo à leitura e a escrita se constitui num dos marcos mais significativos na aprendizagem dos alunos. 

Aqui em nossa escola compreendemos a leitura e a escrita como parte primordial no processo de ensino, realizando uma lapidação em nossos educandos, transformando-os (com a ajuda deles mesmos) em Verdadeiros Diamantes.

Através desse concurso percebemos que os alunos se sentiram motivados a escrever sobre a leitura. 

A grande contribuição deste concurso está nas consequências que o ato de ler provoca nos indivíduos. 

Quando os alunos visualizaram suas crônicas no blog "Nave al Mare" sentiram-se valorizados culturalmente e passaram a acreditar mais no seu potencial.

Escrever as crônicas tem um significado muito importante :  Os alunos são protagonistas na produção do seu conhecimento.

Geneci dos Santos, é prof.ª de Geografia na E.E,Ernani Rodrigues.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

The Smile and The Silence !!!




The Smile and The Silence

They were an extraordinary team!
Silence and Smile!
But which came first?
Perhaps a proverb may help...

Silence precedes the desire to speak, just like the first step precedes the long journey.

Silence was always feeling blocked, he had so much to say! And when he finally decided to say what was on his mind, you know what happened? He couldn’t speak!

Smile didn’t know what was going on around him, and he didn’t know how to express himself, so he just smiled! But he knew that a smile comes before laughter and the understanding of the world!

So he decided to tell a story:

“A long time ago, people didn’t know what heaven was! So as the sun was setting and darkness fell, they would run away and seek a place to hide from the night!”

As time went by, they realized that by closing their eyes they could protect themselves!
Some of them realized that the night could take them to better places, and this is when dreams started!!
Some others would get lost inside themselves, and this is how nightmares began!!

Everyone would follow their star path. And little by little, tiny particles of light became huge constellations!

And the original individual journey was transformed into a joyous adventure that we now call Humanity!!!

If some see the silence as a lack of sounds, others may view it as a gift to better understand their fellow neighbors, and continue to shape and construct a better world !!