Seguidores

segunda-feira, 30 de maio de 2016

Talvez ...



A manhã,

é minha !

A tarde,
dos outros !

A noite,
do mundo !

A madrugada
dos Loucos !



Marco Coiatelli 


17-IX-2014

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Carta para Alguém...



Precisamos de um Farol em nossas Vidas.

Não de Sinais Verdes, Amarelos ou Vermelhos.

A diferença de um e de outro pode ser fundamental ...

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Amor & Ódio !!!



" As paixões do coração humano, 
como as divide, e enumera Aristóteles, são onze; 
mas todas elas se reduzem a duas capitais, 
Amor e Ódio. 
E estes dois afectos cegos são os dois pólos, 
em que se resolve o mundo, por isso tão mal governado. 
Eles são, os que pesam os merecimentos; 
eles, os que qualificam as ações ; 
eles, os que avaliam as prendas; 
eles, os que repartem as fortunas. 
Eles são, os que enfeitam, ou descompõem; 
eles, os que fazem, ou aniquilam; 
eles, os que pintam, ou despintam os objetos, 
dando, e tirando a seu arbítrio a cor, a figura, 
a medida, e ainda o mesmo ser, e substância, 
sem outra distinção, ou juízo, 
o que aborrecer, ou amar. "


P. Antonio Vieira - 1669
Quinta Quarta Feira da Quaresma

terça-feira, 24 de maio de 2016

GONÇALO IVO

   

Gonçalo Ivo e a aurora amanhecida

por Redação
18/05/2016
A mostra "Aurora" reúne parte das 35 pinturas que ilustram a edição brasileira do livro Aurora, 
do pai do artista, o escritor e poeta alagoano Lêdo Ivo (1924-2012), 
publicado postumamente na Espanha, em 2013, 
e que será lançado junto a inauguração da exposição no próximo dia 24 de maio.
“É hora da partida/ parto sem levar nada/ no fim da madrugada, na aurora amanhecida”, 
são os versos que encerram o livro Aurora, de Lêdo Ivo, 
que conta com reproduções de pinturas de Gonçalo Ivo 
feitas especialmente para a edição brasileira do livro, 
em atenção a um desejo do poeta alagoano, falecido em dezembro de 2012. 
Essas pinturas não apenas condensam e deslocam a recente investigação pictórica de Gonçalo Ivo, 
como servem para iluminar as 15 obras presentes na mostra, 
entre as quais duas pinturas no formato 220 x 140 cm, feitas sobre fórmica, 
suporte inédito em sua produção e apresentado pela primeira vez ao público.
Numa delas, Poema noturno, homenagem a Lêdo Ivo, de 2014, 
pintada sobre fórmica negra, cruzes e linhas, 
recorrentes em suas últimas obras, estabelecem uma misteriosa constelação, 
cujas cores, grávidas de movimento, carregam consigo a claridade que, 
no dizer de seu pai sobre a aurora, “[...] permite ver/ a matéria do mundo”. 
Como sugerem os versos que, desta vez, abrem o derradeiro livro preparado por Lêdo Ivo, 
“Ao romper da aurora/ tudo é epifania”, e a pintura de Gonçalo, 
como se nota no conjunto agora exposto, continua a celebrar, em sua própria religiosidade, 
aparições que, “[...] vindo da sombra/ do mistério da noite”, 
devolvem ao olhar a capacidade de surpreender-se e reanimar-se com coisas terrestres.
Sob a iniciativa da Gustavo Rebello Arte e com o apoio da Contra Capa Editora, 
a exposição, Aurora, conjuga, assim, duas linhas de força da trajetória de Gonçalo Ivo: 
a incessante investigação cromática, cotidianamente invocada em seu ateliê, 
e o diálogo com outras manifestações da arte e do espírito, 
não raro estabelecido na forma de livros.
“A pintura de Gonçalo Ivo é mais do que um estudo da cor, 
é uma escola para a cor. Ali, ela aprende. 
Amadurece, como animal efetivamente caçado, 
que não pode mais deixar de assumir sua evidência no mundo. 
Cada tela é uma classe, feita de superior maestria, 
onde a luz incide para se adorar já não enquanto acaso, 
mas enquanto inteligência. 
É esta a diferença entre a cor por consciência e a casual. 
O trabalho de Gonçalo Ivo, cientista desta arte, 
é um modo de revelação, 
não enquanto delirante tentativa mas exatamente 
enquanto pronúncia de sábio que chega cada vez mais perto do que não se podia ver.” 
Valter Hugo Mãe.

FONTE : http://dasartes.com.br/pt_BR/noticias/goncalo-ivo-e-a-aurora-amanhecida

segunda-feira, 23 de maio de 2016

ENTENDIMENTO !!!




Pensar é uma Arte Milenar !!!
E nós somos tão jovens...

Quando finalmente começamos a entender ...
Nos levam o entendimento ...

 Daccapo ...


  • 1 Dall'inizio, da principio: ricominciare d.
  • 2 Nella scrittura e nella stampa, accapo
  • 3 mus. Notazione posta in fondo a un brano per prescriverne la ripetizione
  • • sec. XIV


sexta-feira, 20 de maio de 2016

As queridas Frases De Caminhão !!!




Do nosso querido folclore Brasileiro !!!

São sempre Inesquecíveis !!!

Saudades de quando andava de carro pelas estradas e encontrava essas pérolas !!! 



Imbecil não tem tédio.
Lenha verde e mulher véia chora, mas pega fogo.
Língua afiada separa bons amigos.
Macho que é macho não chupa mel, masca abelha.
Mais virgindades já se perderam pela curiosidade do que pelo amor.
Malandro é o sapo que casa e leva a mulher pra morar no brejo.
Mamãe precisa de uma nora.
Marido de mulher feia sempre acorda assustado.
Marido de mulher feia tem raiva de feriado.
Meu Computador não fala COM PUTA.
Meu pensamento continua onde a minissaia termina.
Motorista é igual bezerro: só dorme apertado
Mulher bonita e dinheiro só vejo na mão dos outros
Mulher bonita e parafuso, comigo é no arrocho.
Mulher de amigo meu é que nem cebola: Eu como chorando.
Mulher de amigo meu pra mim é ótimo.
Mulher de beira de estrada é como circo: só tem armação.
Mulher deixa o rico sem dinheiro e o pobre sem vergonha.
Mulher desquitada e cana de engenho só deixam bagaço.
Mulher e árvore só dão galho.
Mulher é como abelha: ou dá mel ou ferroada.
Mulher é como índio: pinta-se quando quer briga.
Mulher é como lata de sardinha: se abrir, leva
Mulher é como lona de freio: só é boa encostada.
Mulher é como música: só faz sucesso quando é nova.
Mulher é como pizza: só é boa fora de casa!
Mulher é como remédio: agita-se antes de usar.
Mulher é como toalha; quanto mais enxuta, melhor
Mulher e fotografia só se revelam no escuro.
Mulher é igual a um circo, debaixo do pano é que está o espetáculo.
Mulher é igual alça de caixão: quando um larga vem outro e põe a mão
Mulher é igual pipoca, quando dá uns pulinhos cai logo na boca do povo.
Mulher é igual relógio: depois do primeiro defeito, nunca mais anda direito.
Mulher e laranja a gente descasca e chupa.
Mulher feia e cheque sem fundo eu protesto.
Mulher feia é igual a ventania, só quebra galho.
Mulher feia é igual jiló. Pouca gente come.
Mulher feia e morcego só saem à noite.
Mulher feia vale por duas porque o marido sempre tem outra.
Na cabina cabem muitas; no coração só uma.
Na calada da noite a população se multiplica.
Não discuta com sua esposa quando ela esta dobrando seu pára-quedas.
Na vida tudo é passageiro, menos o motorista e o cobrador
Não aponte as falhas alheias com o dedo sujo.
Não beba água, os peixes transam nela.
Não faça de seu namorado um tarado: a vítima pode ser você.
Não jogue espinhos na estrada…na volta você pode estar a pé
Não mando a minha sogra para o inferno porque tenho pena do diabo.
Não me venha com papo de mocinha oferecendo peitinho mole.
Não se pode fazer um omelete, sem quebrar os ovos!
Não sou batom, mas estou nessa boca.
Não sou detetive mas só ando na pista.
Não sou noticia ruim mas ando muito e depressa
Não sou o Dono do Mundo… sou o Filho do Dono
Não sou orquestra, mas vivo no conserto


Fonte : http://www.piadascurtas.com.br/frases-de-para-choque-de-caminhao/

quinta-feira, 19 de maio de 2016

SIMONE 45



Já acordei iluminando o espaço. 
Já percorri o dia alimentando vontades. 
Já fui dormir alimentando sonhos. 
Sou toda intensa, afeta ao doce delírio do amor romanceado, fadado a nunca perdurar. 
Sou o que deixei de ver, aquilo que não fiz, pois também de inércia se abastece o coração, a alma não, essa é pura ação incontrolada que preenche meus dias de esperança e muita fé. 
Como assim? 
Vc tão incrédula. 
Sim a fé ultrapassa qualquer crença, subsistindo pra além daquilo que crio alimento e mato em mim.

quarta-feira, 18 de maio de 2016

SIMONE 44


E eu que gostava tanto de presença me encontro agora digerindo ausências, descobrindo os abandonos dos sentimentos bons. 
Furto sorrisos soltos e esquecidos nos cantos de diversas bocas solitárias por aí. 
Compulsivamente busco o ritmo compassado das batidas cardíacas de corações cansados. 
Flerto com o efêmero, furto restos de sentimentos descartados por quem já não acredita nas paixões. 
Deixei de ser par, sem aprender a ser ímpar. 
Perdi a noção de ser única e, esse aprendizado eu deixo para o tempo que sempre me fez ver o que os olhos não enxergam e o que não percebe o coração. 
E o que importa? 
Eu me bastar, sem tempo.