Seguidores

quinta-feira, 5 de março de 2015

SOPHIA DE MELLO BREYNER ANDRESEN (1919-2004)



"Há mulheres que trazem o mar nos olhos
Não pela cor
Mas pela vastidão da alma


E trazem a poesia nos dedos e nos sorrisos


Ficam para além do tempo

Como se a maré nunca as levasse

Da praia onde foram felizes




Há mulheres que trazem o mar nos olhos

pela grandeza da imensidão da alma

pelo infinito modo como abarcam as coisas e os homens...

Há mulheres que são maré em noites de tardes...
e calma"

Sophia de Mello Breyner Andresen, 
O mar dos meus olhos - Porto, 1919 / Lisboa, 2004

Nenhum comentário:

Postar um comentário